Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio e em Empresas de Assessoramento, Perícias,

Informações  e Pesquisas e de Empresas de Serviços Contábeis de Jundiaí e Região - SEAAC JUNDIAÍ


Home
Guias
Twitter
Blog
Ao Pe da Orelha
Base/Atendimento
Presidente
Diretoria
Categorias
Circulares CCT
Jurídico
Homologações
Seaac Destaca
Observador
Associe-se Já!
Faça seu Currículo
Convênios
Fale Conosco

 

AO PÉ DA ORELHA

 

PIS ESQUECIDO 

 

No próximo dia 29 de junho termina o prazo para o pagamento do Abono Salarial e dos rendimentos do PIS - calendário 2006/2007. Aqueles que não receberam o abono salarial, de julho de 2006 até agora, devem sacá-lo até 29 de junho para não perder o benefício. Se não ocorrer a retirada do Abono neste prazo, o dinheiro volta para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Já os rendimentos não sacados voltam para a conta de PIS do trabalhador, somando-se ao saldo de quotas.

 

Sempre é bom relembrar que o abono corresponde a um salário mínimo e pode ser retirado pelos trabalhadores que preenchem os seguintes requisitos: sejam cadastrados no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos, tenham recebido uma média de até dois salários mínimos mensais em 2006, trabalhado pelo menos 30 dias com carteira assinada durante o ano passado e que tiveram os dados informados corretamente pelo empregador.

 

Para sacar, o beneficiário deve apresentar o número do PIS e a carteira de identidade em uma das agências da Caixa ou correspondentes bancários. O trabalhador também poderá sacar os rendimentos sobre o saldo atualizado das quotas do trabalhador. Mas nem todos têm esse direito.

 

Durante a vigência deste calendário de pagamento que se encerra dia 29, cerca de 700 mil trabalhadores, mesmo avisados por carta, ainda não buscaram o benefício de um salário mínimo, dinheiro que vai voltar para os cofres do governo. Você já recebeu seu abono?

 

A Diretoria

 


 

SOBREVIVÊNCIA DO HOMEM NESTE PLANETA!

 

Engana-se quem pensa que os assuntos de meio ambiente nada tem a ver com sindicalismo. Tem tudo, afinal, como poderá o trabalhador garantir sua sobrevivência em um meio ambiente que vem se deteriorando dia-a-dia, sujeito a grandes prejuízos e tragédias climáticas? Como fazer de conta que muitos empregadores não estão ameaçando o equilíbrio ambiental, descarregando todo tipo de resíduos nas águas, no solo ou atmosfera, colocando em risco direto trabalhadores obrigados a manipular substâncias tóxicas, causando danos à fauna e flora e populações próximas?

 

Todos temos a ver com o assunto da preservação do meio ambiente, uma vez que todos vivemos neste planeta, de onde não podemos sair e que está se tornando um grande lata de lixo! Mas, apesar dos grandes estragos causados pelos homem no último século, ainda há tempo para evitarmos tragédias de proporções incalculáveis.

 

Educação é palavra chave para que possamos preservar o planeta em que vivemos, respeito no trato e uso dos quatro elementos da natureza: água, terra, fogo e ar, reflexão sobre questões relativas à biodiversidade, cidades sustentáveis e preservação ambiental.  Hoje, além da importância de se abordar o assunto das mudanças climáticas, é necessário incluir as discussões sobre meio ambiente na agenda de políticas públicas, preservando os recursos naturais e promovendo condições de vida saudável.

 

Neste contexto o movimento sindical é extremamente importante, uma vez que tem o poder de agregar grandes massas para pressionar o poder público, esclarecer e conscientizar as pessoas para a defesa do nosso planeta e mostrar que essa defesa começa no nosso quintal, através de pequenas atitudes e ações que somadas podem, de fato, mudar o destino inclemente que nos aguarda.

 

É mudar... ou mudar... não há mais escolha possível, chegamos a uma linha que se cruzada não haverá volta e estaremos colocando em risco o futuro de nossos descentes neste planeta. Parece sério? É mesmo, muito sério... Cada um de nós deve parar e pensar o que pode fazer para impedir a extinção da raça humana nos próximos séculos.

 

A Diretoria

 


 

LISTA GRANDE E VARIADA!

 

A lista é grande, variada e dá bem a medida da frouxidão das leis e da lenta atuação da justiça que deixa a impunidade correndo solta pelo Brasil, convidando as pessoas de pouco caráter, que infelizmente são muitas, a praticarem todos os tipos de delitos e crimes para se dar bem na vida. E repare que esta relação vai de janeiro a abril apenas! São as operações deflagradas pela polícia federal, que sempre prima na escolha dos nomes com que batiza suas ações. Veja só:

 

Linhas Cruzadas

A Polícia Federal deflagrou no dia 10 de janeiro, a Operação “Linhas Cruzadas”, cumprindo 17 mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo e Grande São Paulo, no combate às rádios clandestinas que funcionavam sem autorização da Anatel.

Vintém

A Polícia Federal deflagrou na manhã do dia 17 de janeiro, a Operação Vintém, que visa dar cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo da 53ª Zona Eleitoral. Todos os endereços que são alvos das buscas situam-se em Campo Grande, dentre os quais, a Secretaria de Obras do município, local de trabalho de um dos investigados, e uma gráfica, também localizada nesta capital.

Sodoma

A operação “Sodoma” teve início durante a tarde do dia 22 de janeiro, quando os federais, em cumprimento a Mandado de Prisão Preventiva expedido pela Justiça Federal, prenderam no Aeroporto de Vitória três mulheres integrantes de uma quadrilha que traficava pessoas para a Europa.

Passe Livre

Policiais federais, em parceria com o Ministério Público do estado da Paraíba, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria de Finanças/PB e Secretaria de Segurança Pública/PB, prenderam na manhã do dia 16 de janeiro, dez pessoas acusadas de crime de sonegação fiscal, adulteração de combustíveis, formação de quadrilha e porte ilegal de armas, na Operação Passe Livre.

TV Pirata

Policiais federais da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários deflagraram na manhã do dia 24 de janeiro, a operação TV Pirata, com o objetivo de desativar três centrais clandestinas de distribuição de imagem de TV via cabo, localizadas no bairro de Vargem Pequena, na comunidade Beira-Rio (Recreio dos Bandeirantes) e numa região conhecida como Conjunto César Maia, em Jacarepaguá.

Aliança

A Polícia Federal deflagrou, no dia 30 de janeiro, a operação Aliança, com a finalidade de combater empresas de fachada, sediadas em Belo Horizonte, que atuavam com falsas ofertas de empréstimos, consórcios e financiamentos por meio de anúncios em classificados de jornais de grande circulação nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e no interior mineiro.

Kolibra

A Polícia Federal desencadeou na manhã do dia 30 de janeiro, a Operação Kolibra, para desmontar uma rede internacional de tráfico de entorpecentes. Cerca de 350 policiais cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rio de Janeiro. Até o momento foram presas 19 pessoas.

Parabellum

A Polícia Federal em Guaíra, com o auxílio da Divisão de Repressão ao Tráfico de Armas em Brasília, desencadeou na manhã do dia 31 de janeiro, a operação Parabellum para desmontar uma quadrilha envolvida com o tráfico internacional de drogas, armas e munições de calibre restrito. Estão sendo cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão no Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

Cedro-Maracá

Policiais Federais da Superintendência de Roraima e servidores do IBAMA realizaram no dia 1º de fevereiro, a Operação Cedro-Maracá na região do Boqueirão, município de Alto Alegre, nas proximidades da Ilha de Maracá, com o objetivo de coibir o desmatamento ilegal de florestas e outros crimes ambientais.

Roseira

A Polícia Federal em Volta Redonda prendeu, no dia 7 de fevereiro, quatro traficantes que atuavam na região Sul Fluminense. As prisões fazem parte da Operação Roseira, desencadeada ontem, dia 6. Até o momento já foram presas 12 pessoas, entre elas o acusado de liderar o tráfico de drogas no bairro Vale Verde, no complexo da Vila Brasília, em Volta Redonda.

Big Apple

A Polícia Federal realizou no dia 9 de fevereiro, a operação Big Apple para desarticular um esquema de contrabando de agrotóxico. A ação, que teve a participação de 32 policiais e foi coordenada pela Delegacia da PF em Chapecó, contou com a colaboração das delegacias de Joinville, Lages, Santa Maria (RS) e da unidade da Receita Federal em Joaçaba. Três pessoas foram presas e dezenas de mandados de busca e apreensão cumpridos.

Valáquia

A Polícia Federal desencadeou, na manhã dia 13 de fevereiro, a operação Valáquia, em Teresina, Campo Maior (PI) e Codó (MA), para prender uma quadrilha especializada em invadir contas bancárias por meio da Internet. Cerca de 150 policiais do Piauí, Maranhão e Ceará cumpriram 27 mandados de busca e apreensão e diversos de prisão expedidos pelo juiz da 2ª Vara Federal do Estado do Piauí.

Sintonia

A Polícia Federal, através da sua Superintendência em Minas Gerais, realizou no dia 13 de fevereiro a operação Sintonia, para apurar a denúncia de funcionamento irregular de rádios em Betim. Foram fiscalizadas 18 emissoras em cumprimento a mandados de busca e apreensão. Em 16 locais foram apreendidos equipamentos, enquanto uma rádio teve a aparelhagem lacrada. Ao todo participaram da ação 72 policiais e 20 fiscais da Anatel.

Piratas da Lavoura

A Polícia Federal deflagrou, no dia 14 de fevereiro, a Operação “Piratas da Lavoura”, visando ao desmantelamento de quadrilhas de contrabandistas de agrotóxicos que tinham como base a cidade de Guairá, no Paraná, com ramificações em outras cidades do Estado, como Foz do Iguaçu, Cascavel, Marechal Cândido Rondom, Terra Roxa e Londrina, e em outros estados brasileiros, especialmente Mato Grosso. Foram cumpridos 40 mandados de prisão e de busca e apreensão.

Rio Nilo

A Polícia Federal desencadeou, na manhã do dia 15 de fevereiro, a Operação Rio Nilo. O objetivo da ação é desmontar uma quadrilha envolvida com fraude de incentivos ficais administrados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA). Cerca de 330 policiais federais cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão nos estados do Amazonas, São Paulo, Bahia e Alagoas. A operação conta com apoio da Secretaria da Fazenda de São Paulo, Receita Federal e SUFRAMA. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal de Manaus.

387

Deflagrada no dia 14 de fevereiro, a operação 387 teve por finalidade o combate de atividades irregulares por empresas de Segurança Privada que atuavam em Natal sem autorização do Departamento de Polícia Federal.

Savana

A Delegacia de Polícia Federal em Caxias do Sul deflagrou, na manhã do dia 28 de fevereiro, a Operação Savana, com o objetivo de desarticular organização criminosa atuante na Região da Serra gaúcha, especializada no tráfico internacional de entorpecentes.

Ananias

A Polícia Federal em parceria com o Ibama desencadeou no dia 2 de março, a operação Ananias para prender cerca de 30 integrantes de uma quadrilha de criminosos ambientais que atuavam na região de Altamira. A investigação contou com a parceria estreita da Procuradoria do Ibama e durante os sete meses de trabalhos foi capaz de identificar um complexo esquema que envolvia madeireiros, despachantes e servidores públicos.

Xingu

A Força-Tarefa Previdenciária no Estado do Pará, composta pelo Departamento de Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal, desencadeou no dia 5 de março, a operação Xingu, para prender integrantes de uma quadrilha que agia na concessão de benefícios previdenciários.

Casão

A PF desencadeou, na manhã do dia 6 de março, nos estados do Paraná e São Paulo, a operação “Casão” que desarticulou uma quadrilha que confeccionava cédulas falsas de 10, 20 e 50 reais. As cédulas falsas eram distribuídas em Curitiba/PR e região metropolitana.

Truco

Na manhã do último dia 2 de março, a Delegacia de Polícia Federal em Imperatriz realizou a operação Truco com o objetivo de cumprir quatro mandados de busca e apreensão em estabelecimentos comerciais que exploram jogos de azar naquela cidade. A ação, autorizada pela Subseção Judiciária da Justiça Federal de Imperatriz, contou com a participação de 26 policiais.

Morpheu

A Polícia Federal deflagrou, na manhã do dia 08 de março, a Operação Morpheu, com o objetivo de desarticular uma quadrilha de traficantes que atuava também como grupo de extermínio na região norte do estado do Rio de Janeiro. Uma unidade de refino de cocaína da quadrilha também será alvo da operação.

Miragem

A Polícia Federal no Rio Grande do Norte deflagrou, na manhã do dia 09 de março, a "Operação Miragem", com o objetivo de desmontar uma quadrilha que colocava em circulação grande quantidade de dinheiro falso, não só na capital, mas também em cidades do interior, como Macaiba e Canguaretama. A operação contou também com o apoio do Batalhão de Operações da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal.

Naciente

A Polícia Federal desencadeou, no dia 13 de março, a Operação Naciente. A ação teve como objetivo desmontar uma quadrilha internacional de tráfico de drogas. Cerca de 150 policiais cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão no Amazonas, Minas Gerais, Roraima e Santa Catarina. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal no Amazonas. Entre os principais crimes praticados pelo grupo estão o tráfico internacional de drogas, a associação para o tráfico e a lavagem de dinheiro. Até o momento foram presas 19 pessoas.

Byblos

A Polícia Federal deflagrou, no dia 14 de março, a Operação Byblos, com o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada na utilização de documentos falsos para obtenção de passaportes brasileiros para estrangeiros.

Jota

Policiais federais da Delegacia de Bauru, em conjunto com auditores da Delegacia da Receita Federal, desencadearam, no dia 14 de março, a Operação Jota para reprimir o comércio de mercadorias estrangeiras contrabandeadas no município de Jaú (SP). Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão (cinco em estabelecimentos comerciais e dois em residências) expedidos pelo 1ª. Vara Federal de Jaú.

Derrame

A Polícia Federal deflagrou, no dia 19 de março, a Operação Derrame para desarticular uma quadrilha internacional de falsificadores de cédulas. Foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão em Brasília, Ponta Porã e Goiânia.

Antídoto

A Polícia Federal deflagrou, na madrugada do dia 22 de março, a operação Antídoto para desmantelar uma quadrilha que fraudava licitações para aquisição de medicamentos.

Platina

A Polícia Federal realizou, no dia 22 de março, a Operação Platina. A ação, que acontece no Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Rio Grande do Sul, teve como objetivo prender integrantes de uma quadrilha internacional de tráfico de drogas que atua no Brasil, Uruguai, Colômbia, Estados Unidos e Espanha.

Âncora

Policiais federais da Superintendência Regional da Paraíba, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, policiais militares e servidores da Capitania dos Portos realizaram na manhã do dia 22 de março, a Operação Âncora no município de Cabedelo (PB). A ação, que prendeu 13 pessoas em flagrante, teve como objetivo reprimir o tráfico de drogas, especialmente o comércio ilícito de crack.

Curitiba

A Polícia Federal no Rio Grande do Sul realizou, no dia 26 de março, a Operação Curitiba. O objetivo da ação é desarticular uma quadrilha de tráfico internacional de drogas que atuava no Brasil, Paraguai e Uruguai. Até o momento foram presas 21 pessoas, entre fornecedores, transportadores, químicos, compradores e distribuidores.

Interferência

A Polícia Federal em São Paulo, através da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários, desencadeou no dia 26 de março, a Operação Interferência, com o objetivo de cumprir mandados de busca e apreensão e encerrar as atividades de diversas rádios que operam sem a autorização da Anatel.

Testamento

A Polícia Federal desencadeou, no dia 27 de março, em Natal, a Operação Testamento com o objetivo de desarticular uma quadrilha acusada de crimes contra o sistema financeiro nacional, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e câmbio ilegal.

Malha Sertão

A Polícia Federal deflagrou, na manhã do dia 30 de março, a operação Malha Sertão, que teve como objetivo acabar com quadrilhas envolvidas em fraudes para recebimento indevido de restituições de Imposto de Renda. Foram cumpridos dez mandados de prisão e 15 mandados de busca e apreensão em Feira de Santana, Uauá, Canudos e Umburanas.

Ouro Verde

A Polícia Federal e a Receita Federal iniciaram, na manhã do dia 30 de março, a Operação Ouro Verde. As equipes da Delegacia de Polícia Federal em Joinville/SC e do Núcleo de Repressão a Crimes Financeiros da Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio Grande do Sul executam as ações sob coordenação da DFIN – órgão central de combate a crimes financeiros. As ações acontecem simultaneamente nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Conexão Alfa

A Polícia Federal em Araraquara, com apoio das delegacias da capital, interior e outros estados desencadeou, no dia 03 de abril, a Operação Conexão Alfa, com o objetivo de desarticular organização criminosa ligada ao tráfico internacional de entorpecentes, que agia no interior de São Paulo há mais de 10 anos. Cerca de 200 policiais federais cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Acre.

Malha Fina

Na noite do dia 5 de abril, a Polícia Federal, juntamente com o IBAMA e o Destacamento de Polícia Ambiental da Polícia Militar no Rio Grande do Norte, realizou a operação Malha Fina. O objetivo da ação era prevenir e reprimir o comércio ilegal de lagosta nos restaurantes localizados na avenida Erivan França, na praia da Ponta Negra, em Natal. Foram apreendidos mais de 40 quilos do crustáceo.

Aveloz

A Polícia Federal, em parceria com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e de suas Polícias Civil e Militar e com suporte do Ministério Público do estado de Pernambuco, desencadeou, na manhã do dia 12 de abril, a Operação Aveloz, com o objetivo de desarticular uma quadrilha formada por policiais, pistoleiros e empresários que atuavam na área de Caruaru, agreste do estado.

Arara Preta

A Polícia Federal, através da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio-Ambiente e Patrimônio Histórico na Bahia, realizou, no dia 12 de abril, a operação Arara-Preta. Foram cumpridos 20 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão na Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro, pelos crimes de formação de quadrilha, receptação, porte e vendas de animais silvestres.

Hurricane

A Polícia Federal deflagrou, na manhã do dia 13 de abril, a Operação Hurricane, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, e no Distrito Federal. O objetivo era desarticular uma organização criminosa que atuava na exploração do jogo ilegal e cometia crimes contra a administração pública. Foram cumpridos 70 Mandados de Busca e Apreensão e 25 Mandados de Prisão contra chefes de grupos ligados a jogos ilegais, empresários, advogados, policiais civis e federais, magistrados e um membro do Ministério Público Federal.

42 Graus

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Superintendência de Polícia Federal no Estado do Amapá desencadeou no dia 17 de abril, a Operação 42 Graus, para desarticular uma organização criminosa especializada em tráfico de drogas sintéticas, especialmente ecstasy. Foram presas 14 pessoas e cumpridos 11 mandados de busca nos estados do Amapá e Pará. Segundo uma estimativa dos investigadores, o grupo já comercializou 4 mil comprimidos de ecstasy.

Cobra d'Água

Depois de cinco meses de investigações, a Polícia Federal deflagrou na manhã do dia 17 de abril, a Operação Cobra d’Água. É a maior ação feita no Brasil para o combate ao contrabando e ao descaminho de mercadorias trazidas do Paraguai por meio fluvial. Cerca de 280 policiais federais cumprem mais de 100 mandados de prisão e busca e apreensão com ordens de prisões e de busca e apreensão nas cidades de Guaíra, Altônia, Umuarama, Loanda, Goioerê e Tuneiras do Oeste, bem como no município de Mundo Novo (MS).

Kaspar

A Polícia Federal realizou no dia 17 de abril, a Operação Kaspar. Foram cumpridos 22 mandados de prisão e 52 mandados busca e apreensão em imóveis comerciais e residenciais localizados, em sua maioria, na região metropolitana de São Paulo e também nos estados do Rio de Janeiro, Bahia e Amazonas para apreender provas de crimes contra o sistema financeiro nacional e de “lavagem” de dinheiro.

Lacraia

A Polícia Federal desencadeou na manhã do dia 20 de abril, a Operação Lacraia, para desarticular uma quadrilha que praticava há cerca de 10 anos crimes como fraudes cartorárias, grilagem de terras da União, contra o sistema financeiro e corrupção de servidores públicos.

Game Over

A Polícia Federal em Goiás deflagrou, na manhã do dia 24 de abril, a operação "Game Over". O objetivo foi o cumprimento de 08 (oito) Mandados de Busca e Apreensão em casas de bingos/depósitos localizados em Goiânia

Oeste

A PF desencadeou, no dia 27 de abril, em quatro estados, a operação “Oeste”, com o objetivo de desarticular uma quadrilha composta de mais de 30 de seqüestradores, muitos deles filiados a organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) que agem em todo o país.

Terra do Sol

A Polícia Federal deflagrou, no dia 26 de abril, a Operação Terra do Sol , nos Estados do Rio Grande do Norte, Acre e Paraíba. Trata-se de operação conjunta dos três Estados, coordenada a partir de Natal, com o objetivo de desarticular importante organização criminosa que estabeleceu rota de tráfico de cocaína, principalmente na forma de crack e de pasta-base, a partir de Rio Branco, no Acre, com destino aos Estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Vaga Certa

A Polícia Federal deflagrou, na manhã do dia 30 de abril, a Operação Vaga Certa, para combater um esquema de venda de vagas em Universidades públicas e particulares. A quadrilha contava com a participação de jovens universitários que faziam as provas dos vestibulares no lugar dos verdadeiros candidatos (os chamados PILOTOS), recebendo o valor de R$ 6.000,00 por cada aprovação. Além disso, comercializava a venda de direito de transferência de universitários aprovados em universidades particulares para universidades federais e estaduais. Por cada uma dessas vagas a quadrilha recebia de R$ 25.000,00 a R$ 70.000,00. (Fonte: Depto Polícia Federal)

 

É a criatividade brasileira dirigida para sua mais organizada instituição: o crime

 

A Diretoria 

 


 

OBRA ABERTA!

 

Enquanto os trabalhadores das várias centrais sindicais brasileiras estão unindo forças para que o veto presidencial à Emenda nr 3 seja mantido, OAB SP, Sescon, Associação Comercial de SP, Fecomércio e outras entidades lançam a campanha "Fiscal Não é Juiz", com o objetivo de mobilizar a sociedade civil, conquistanso seu apoio ao utilizarem-se  de argumentos como o desejo da sociedade de formalização do emprego, diminuição da burocracia, agilidade na contratação de profissionais no mercado de trabalho. Tudo balela, uma vez que para o capital só importa mesmo é a facilidade e o baixo custo de contratação de mão de obra.

 

Portanto, nada melhor que cortar os mecanismos de fiscalização e punição, facilitando desse modo a burla da lei, retardando as conseqüências deste ato e trazendo um grande prejuízo à verificação das condições de trabalho no Brasil inteiro, onde já vivemos um clima intenso de impunidade.

 

“Se aprovada, a emenda será a “vitória dos escravagistas”, exercendo o mesmo impacto de uma reforma trabalhista. “Retirar o Estado da proteção do trabalhador e obrigá-lo a procurar a Justiça para ter seus direitos é como tirar a polícia das ruas e deixar que cada um procure a Justiça para reclamar quando for ofendido ou tiver um parente assassinado”. (Rosa M. Campos Jorge - presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho)

 

A história das lutas dos trabalhadores brasileiros é uma obra aberta, uma novela que está sendo escrita, recheada de grandes embates entre capital e trabalho, repleta de ensinamentos e um rico patrimônio das forças políticas progressistas neste país. Os trabalhadores não permitirão que este capítulo tenha um final infeliz. O movimento sindical brasileiro exige a não derrubada do veto; que a Emenda 3 seja mantida totalmente vetada e que não haja nenhum tipo de "acordo" entre governo e oposição, no qual os prejudicados sejam os trabalhadores brasileiros.

 

A Diretoria


 

VACINAR É PRECISO!

 

A Campanha Nacional de Vacinação do Idoso começa no próximo dia 24 de abril. Em Jundiaí o público alvo estimado é de 37.737 pessoas e a expectativa é de vacinar pelo menos 70% dele. A vacina contra a gripe diminui o risco de contrair a doença em até 90% dos casos, leva duas semanas para produzir efeito e deve ser tomada todos os anos; ela não causa gripe e só não podem tomá-la aqueles que têm um quadro raríssimo de alergia comprovada à proteína do ovo, uma vez que o medicamento é produzido em embriões de galinha.

 

A Secretaria de Saúde de Jundiaí estará com vários postos de vacinação neste período, a fim de facilitar o acesso da população. No decorrer da semana haverá vacinação em todas as Unidades Básicas de Saúde e nas unidades do Programa Saúde da Família do Parque Centenário, Vila Ana, Vila Esperança, Vila Marlene, Medeiros e Rio Acima. O atendimento será das 8 às 17 horas. No calçadão da Barão de Jundiaí, em frente à Casa da Cultura, também haverá um posto, funcionando das 8h30 às 16 horas. mais informsações poderão ser obtidas no telefone 156 da Prefeitura.


Ainda durante a semana, equipes da Vigilância Epidemiológica estarão percorrendo Clubes da Terceira Idade, Igreja Santo Antonio, centros esportivos e bailes dos clubes 28 de Setembro e Juventus.

 

É bom lembrar que a composição da vacina contra o vírus influenza é alterada anualmente de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e por isso é fundamental que ela seja tomada todos os anos, gratuitamente, nos postos de saúde. Faça sua parte, acompanhe seu idoso, faça este gesto de carinho.

 

A Diretoria

 


 

CONTRA OS TRABALHADORES!

 

Mais uma vez, vemos os parlamentares eleitos pelo povo para governar para o povo, voltarem-se  contra os trabalhadores.

 

Proposta pelo senador Ney Suassuna a famigerada emenda aditiva 3 do texto da Super-Receita (Lei 11.457/07), determina que apenas a Justiça do Trabalho, e não o auditor-fiscal, pode decidir se a relação de uma pessoa jurídica prestadora de serviço com outra empresa é, de fato, uma relação empregatícia.

 

Na prática isso abre caminho para que os patrões despeçam seus empregados, contratando-os depois como pessoa jurídica e assim livrando-se dos encargos trabalhistas como FGTS, previdência, férias, 13º, vale-refeição etc, uma vez que a lentidão e o acúmulo de processos nos tribunais tornarão impunes tais fraudes.

 

Tal descalabro foi vetado pelo presidente Lula, mas existe uma forte pressão do empresariado, da mídia e da direita, para derrubar o veto. No Congresso Nacional a votação desse tema requer maioria absoluta e é secreta. As Centrais Sindicais já protocolaram pedido na Câmara dos Deputados e no Senado para que a votação seja aberta e nominal, para que assim os deputados e senadores mostrem seu voto e de que lado estão.

 

Assim, mais uma vez o movimento sindical e obrigado a mobilizar-se para que a carteira de trabalho não vire peça de museu, direitos não sejam retirados, para que os auditores fiscais possam fazer seu trabalho e fiscais do trabalho desempenhar suas funções. 

 

Cada um de nós pode participar, fazendo pressão por e-mail, enviando mensagem aos(as) deputados(as) e senadores(as) que querem derrubar o veto. Clique aqui e você terá a lista dos endereços. Só a união e a força dos trabalhadores organizados poderão reverter esse ouriço que querem nos enfiar goela a baixo!

 

A Diretoria

 


 

Água: É preciso mudar hábitos para sobreviver!

 

O crescente agravamento da falta de água deveria levar as pessoas a estabelecer uma nova forma de pensar e agir, inclusive mudando seus hábitos, usos e costumes. Essa nova forma de pensar e agir deveria visar o crescimento econômico respeitando a capacidade dos recursos do meio ambiente, sobretudo a água.

 

A consciência ambiental precisa ser despertada em todas as camadas da sociedade. Pequenos cuidados já são de grande valia, como usar a mesma água para diferentes finalidades, por exemplo, a água usada para lavar roupa é depois usada para lavar o quintal; evitar vazamentos; regar jardins e plantas na parte da manhã ou no final da tarde; lavar o carro eventualmente; não lavar calçadas, apenas varrer; não instalar válvulas de descarga nos vasos sanitários e sim caixas de descarga, que são mais econômicas e produzem o mesmo resultado e conforto.

 

Recurso natural de valor econômico, estratégico e social, essencial à existência e bem estar do homem e à manutenção dos ecossistemas do planeta, a água é um bem comum a toda a humanidade. A conscientização e a educação do povo, do consumidor, dos políticos que fazem as leis são fundamentais. 

 

Racionalizar o uso da água não significa ficar sem ela periodicamente. Significa usá-la sem desperdício, considerá-la uma prioridade social e ambiental, para que a água tratada, saudável, não falte para ninguém.

 

A Diretoria

 


 

TRÁFICO DE MULHERES

 

Segundo dados da Polícia Federal, houve a abertura, em 2005, de 119 inquéritos para investigar o tráfico de brasileiras para Portugal e Espanha, entre outros países. Informações publicadas no jornal O Globo mostram que, em 2002, este número era três vezes menor. De 2000 a 2005, a PF abriu 372 inquéritos sobre mulheres brasileiras que foram vendidas para Portugal, Espanha, Suíça e até para o Suriname.


Dados da ONU mostram que as redes de prostituição podem faturar até US$ 30 mil com cada mulher traficada (A Gazeta do Povo, 25/2/2007). Depois do narcotráfico e do contrabando de armas, o tráfico de mulheres é o negócio ilegal de maior lucratividade no mundo.


A prostituição é umas piores formas de opressão da mulher, que é jogada nesta condição deprimente por conta da total falta de perspectiva de ter uma vida melhor. (Fonte: Causa Operária online)

 

O fato é que o tráfico de mulheres é uma forma moderna de escravatura. Todos os anos milhares são levadas de um país para outro, como parte do comércio de seres humanos. Embora o principal objetivo deste comércio seja a exploração sexual, serve ainda como fonte de trabalho ilegal.

 

O tráfico representa uma forma mais grave de violência sexualizada que é incompatível com o princípio da igualdade entre sexos. As mulheres atingidas pela pobreza são particularmente vulneráveis aos traficantes, que têm como motivação o lucro e, em muitos casos, estão envolvidos no crime organizado. O tráfico de seres humanos é uma forma grave de crime organizado e constitui uma grave violação dos direitos humanos.

 

No Brasil a exploração sexual não tem ligação apenas com a pobreza e a exclusão social, trata-se de um problema que também está relacionado com questões culturais como o machismo e as relações de poder entre adultos e crianças, brancos e negros, ricos e pobres.

 

A Lei Maria da Penha prevê que o Brasil  adotará medidas que permitam a recuperação física, psicológica e social das vítimas do tráfico de pessoas, ou seja, a partir dos relatos destas mulheres e meninas, expostas a esse tipo de abuso, iremos criar de fato no Brasil um ambiente político e social que dê conta de combater e prevenir este crime.

 

A Diretoria


 

PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES...

 

No Brasil, segundo o IBGE as mulheres constituem a maioria da população brasileira, 52%.  Entretanto, ainda segundo o instituto, as mulheres são minoria no mercado de trabalho (44,3% de participação feminina e 55,7% de participação masculina).

 

No Brasil do trabalho, segundo a OIT, de cada 10 cargos executivos existentes nas grandes empresas, apenas um é ocupado por mulheres. No nível de gerência, dois cargos são das mulheres e oito dos homens. Nas chefias, as mulheres são três e os homens, sete. As mulheres também estão em menor número no chão das fábricas e nos cargos funcionais e administrativos: 3,5 contra 6,5.

 

No Brasil sindical de cada 100 brasileiros sindicalizados, pouco mais de 36 são mulheres. Pesquisa do IBGE indica que esta baixa participação acontece tanto na composição do quadro associativo, quanto nas diretorias sindicais. Mesmo quando estão presentes nas diretorias, as mulheres geralmente não ocupam os cargos considerados mais importantes, que são: presidência, secretaria geral e tesouraria.

 

No Brasil político, somente em 1932 as mulheres conquistaram o direito de votar e de se candidatar. De lá para cá, houve uma evolução tanto democrática quanto populacional. Hoje as mulheres são maioria no eleitorado e minoria em cargos de poder.

 

A discussão em torno da participação das mulheres, nos segmentos político e sindical do país, requer um debate franco e claro no que se refere ao poder. Requer a adoção de medidas compensatórias que estimulem, garantam condições práticas, preparem e produzam mudanças mais radicais nas estruturas de poder e que busquem desafiar os atuais modelos de representação e participação, já que o reconhecimento das diferenças é fundamental para a conquista da igualdade entre homens e mulheres. Garantir a presença e a participação das mulheres requer o estabelecimento de condições favoráveis como creches, horários de reuniões compatíveis com a existência da dupla jornada de trabalho e as responsabilidades familiares.

 

Vale lembrar que ao aumentar de maneira efetiva a influência da mulher em todos os níveis da sociedade organizada, aumentam as possibilidades de mudança em direção à igualdade entre os gêneros, assim como fica mais curto o caminho para uma sociedade justa e democrática.

 

A Diretoria


 

PAGANDO PARA ESTACIONAR!

 

A instalação do estacionamento rotativo na região da Vila Arens voltará a ser discutida neste ano. Há seis anos a idéia é cogitada.

 

Comerciantes da área estão divididos em suas opiniões sobre este assinto. Muitos acreditam que a rotatividade criada nos locais reservados para estacionar melhoraria os negócios, enquanto outros argumentavam que os pequenos negócios onde são geralmente feitos serviços rápidos, seriam prejudicados com a cobrança. Por conta disso a Câmara dos Dirigentes Lojistas ainda não se posiciou sobre o assunto, esperando que a secretaria de trânsito do município esclareça melhor o funcionamento do estacionamento regulamentado.

 

A realidade é que o estacionamento naquela área terá que organizado em algum momento que não está muito longe, independente que aprovação ao não por parte dos comerciantes, e o cidadão comum que deseja utilizar seu veículo terá de meter a mão no bolso para pagar por este conforto!

 

A Diretoria

 


SEAAC de Jundiaí e Região - Fale conosco! - (11) 4522-4802