Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio e em Empresas de Assessoramento, Perícias,

Informações  e Pesquisas e de Empresas de Serviços Contábeis de Jundiaí e Região - SEAAC JUNDIAÍ


Home
Twitter
Blog
Ao Pe da Orelha
Base/Atendimento
Presidente
Categorias
Circulares CCT
Jurídico
Homologações
Seaac Destaca
Observador
Associe-se Já!
Faça seu Currículo
Convênios
Fale Conosco

 

AO PÉ DA ORELHA

 

NOSSOS VOTOS!

 

“Nossos Votos neste natal:

Que o verdadeiro espírito do Natal e do Ano Novo nos motive para profundas reflexões de aprimoramento do nosso comportamento ético, moral, fraterno e solidário e também da nossa sadia, lúcida e tolerante religiosidade.

 

Deste modo:

Com certeza estaremos fazendo a nossa parte em prol de uma humanidade melhor, mais pacífica, mais fraterna, mais solidária
e também mais tolerante com as diferenças alheias.

 

Quanto àqueles que não fizerem isto:

Para nós o que importa é sempre darmos, para eles, a motivação maior de todas: o nosso exemplo!

 

Finalmente:

Para todos nós, filhos do mesmo Pai e atuais companheiros de viagem cósmica e de aprendizado evolutivo na Terra, desejamos:
Muita Paz, Muito Amor, Muita Saúde, Muita Prosperidade,
Muitas Luzes, Muita Alegria, Muita Compreensão, Muita Tolerância,
Muito Perdão, Muita Harmonia, Muita Sabedoria, Muita Tranqüilidade,
Muita Paciência, Muita Felicidade e... quando for necessária, Muita Resignação!”

(autor desconhecido)

 

A Diretoria

 


16 DIAS DE ATIVISMO

 

A cada 15 segundos uma mulher é vítima de violência no Brasil. De cada cinco dias de falta ao trabalho, um é causado pela violência sofrida pelas mulheres, geralmente dentro de suas casas. Dados da Unesco (2004) revelaram que uma em cada quatro meninas brasileiras sofrem violência sexual no próprio lar. Elas fogem e desaparecem, caindo na exploração, turismo e tráfico sexual. A violência contra as mulheres custa ao país 80 bilhões de reais, correspondendo a 10,5% do PIB.

 

Por conta deste quadro deplorável que se estende por todo o planeta, desde 1991 o período compreendido entre 25 de novembro e 10 de dezembro é compreendido como “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, em 135 países e conta com o apoio da Organização das Nações Unidas.

 

A idéia central da campanha é estabelecer um elo simbólico entre a violência de gênero e os direitos humanos, enfatizando que a violência contra a mulher é uma violação de direitos humanos. Por isso, foi escolhido este. O dia 25 de novembro foi proclamado pelas Nações Unidas como Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra a Mulher. O dia 10 de dezembro marca o Dia Internacional dos Direitos Humanos. O período também inclui outras datas significativas: 1º de Dezembro, que é o Dia Mundial da AIDS, e 6 de Dezembro, Dia da Mobilização dos Homens pelo fim da Violência contra as Mulheres.

 

No Brasil, foram incorporados ainda o 20 de novembro - Dia Nacional da Consciência Negra e o 18 de dezembro - data da adoção, pela ONU, em 1979, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Descriminação contra a Mulher (CEDAW).

 

Neste ano, o movimento de mulheres está focado na aplicação efetiva da Lei Maria da Penha, que combate à violência doméstica e de gênero prevê punições mais rigorosas para as agressões, garante direitos de proteção às mulheres vitimadas, cria importante instrumento na luta das mulheres, dando margem a novas discussões sobre o tema.

 

Há muito por fazer e os cidadãos de bem precisam trabalhar efetivamente para construir uma sociedade em que homens e mulheres sejam livres e iguais.

 

A Diretoria

 


 

HERANÇA MALDITA

 

Dia 20 de novembro comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra e dia 25 de novembro, o Dia da Não Violência contra a Mulher, datas oportunas para lembrar a precária e frágil situação da mulher negra brasileira (25% da população), que está exposta à miséria, à pobreza, à violência, ao analfabetismo, à precariedade de atendimento nos serviços assistenciais, educacionais e de saúde. Esta situação de exclusão aos bens e serviços existentes na sociedade pode ser percebida quando analisamos nas estatísticas do IBGE, a inserção da população feminina negra em diferentes campos: social, político e econômico.

 

A condição atual da mulher negra é um assunto que exige discussões de todas as áreas do conhecimento e campos profissionais do setor público e do privado, além do compromisso da sociedade de debruçar-se sobre assuntos e discussões que contribuam para produção de conhecimentos, que mudem posturas ainda preconceituosas e racistas que excluem ou dificultam a inserção da raça negra no sistema de educação, saúde, no mercado de trabalho impedindo essas brasileiras de exercer sua cidadania.

 

Ao cidadão comum, no seu dia a dia cabe denunciar e combater todas as formas de violência e discriminação contra a população negra e contra as mulheres em geral, pois, o longo aniquilamento físico, social e político imposto às mulheres negras desde os tempos da escravidão precisa deixar de ser uma herança maldita transmitida de geração em geração.

 

A Diretoria


 

AVANÇANDO EM SUAS CONQUISTAS!

 

As mulheres brasileiras têm, apesar da dificuldade, violência e exclusão, avançado em suas conquistas, seja no espaço do lar ou no espaço público do mundo do trabalho ou da política. Estas são conquistas alcançadas com enormes dificuldades e por isso mesmo, muito valorizadas. É neste contexto que a mulher trabalhadora acaba de galgar mais um degrau: a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil – CGTB antenada com a necessidade de dar uma atenção maior às questões de gênero, acaba de criar uma secretaria para tratar dos assuntos da mulher.

 

Neste novo gabinete, será tratada a luta da mulher na sua atividade, no seu cotidiano, para a obtenção de um espaço para seu crescimento, evolução e equidade, que será buscado através de ações voltadas para os assuntos que dizem respeito à mulher e focadas em uma política social de gênero que contemple mulheres e homens.

 

Certamente, propostas serão criadas com estas finalidades e apresentá-las, tanto ao poder público quanto à entidades, empresas e comunidades será um dos nossos objetivos, para preservar os direitos e conquistar novos avanços.

 

Temas como Diretos da Mulher, Educação, Sexualidade, Discriminação, Auto-estima, Violência, Emprego e Renda, Lar e Família, Relação de Gêneros estarão na pauta do dia da secretária e de cada colaborador que vier a participar desse novo gabinete.

 

A presidente do Seaac Jundiaí, Maria Aparecida Feliciani, foi escolhida para dirigir a nova Secretaria da Mulher da CGTB, que abriu esta brecha no seu espaço de poder, revelando um gesto de boa vontade para a resolução das questões de gênero. Ganham mulheres e homens que aspiram por uma sociedade mais justa!

 

A Diretoria


 

O DESAFIO DE SINDICALIZAR! 

 

A evolução de um sindicato está diretamente conectada com o dia-a-dia dos trabalhadores da sua base territorial, que exigem uma entidade dinâmica, atuante e participativa, de porta sempre aberta.

 

Esta, entretanto, é uma via de mão dupla, pois, para que o sindicato possa apresentar tais qualidades, a entidade necessita de representatividade, isto é, dos trabalhadores associados, que com sua união trazem força para a organização sindical.

 

O desafio de sindicalizar e manter as sindicalizações consiste em preservar credibilidade e transparência junto aos trabalhadores. Não podemos colocar o peso dos problemas do mercado de trabalho e da sociedade nos ombros do trabalhador, mas fortalecê-lo, mantendo seus direitos, assegurando conquistas e combatendo a exploração para que haja um trabalho decente e humano, com igualdade e oportunidade para todos.

 

Assim, nosso sindicato, embalado pela força dos trabalhadores, tem se transformado ao longo de sua existência, tem lutado constantemente pelos direitos trabalhistas, negociando salários e benefícios para os trabalhadores; tem procurado qualificar-se utilizando a tecnologia e informação para atender com agilidade e qualidade, tem investido no serviço jurídico e no atendimento em outras cidades, tem formado parcerias na área do comércio e serviços, tem se comunicado com a categoria através dos canais online e impresso, procurando sempre fazer mais e eficientemente, afinal, transformar é modificar algo para melhor e juntos estamos sempre transformando nosso Sindicato!

 

Trabalhador, venha juntar-se a nós!

 

A Diretoria


 

RECLAMAR ADIANTA!

 

O presidente da Câmara, vereador Luiz Fernando Machado, estima que no mês de novembro o Procon jundiaiense estará atendendo ao público em suas novas instalações, na Rua Barão de Jundiaí, 128, no térreo do anexo da Câmara, que fica perto da Biblioteca Municipal. No novo endereço o órgão ganhará mobiliário novo e mais equipamentos de informática. Além do Procon, ressalta Machado, o espaço abrigará o “Facilita Jundiaí”, uma iniciativa do Legislativo que visa estimular a prestação de serviços pela Câmara, uma vez que o Legislativo serve para prestar serviços ao cidadão.

 

Sempre é bom lembrar que o Procon é um serviço público mantido pelo governo, que tem como finalidade proteger, amparar e defender o consumidor de práticas comerciais enganosas ou que lhe tragam danos ou prejuízos.  Cabe ao Procon orientar, receber, analisar e encaminhar reclamações, consultas e denúncias de consumidores, fiscalizar previamente os direitos dos consumidores e, quando for o caso, aplicar sanções.

 

Para encaminhar reclamações e denúncias é preciso comparecer pessoalmente ao Procon. Para isso, é fundamental que o consumidor junte cópias de toda documentação que puder (nota fiscal, recibos, contratos, certificado de garantia, cartões de cobrança, carnês e comprovantes de pagamento em geral), para que fique bem caracterizado o prejuízo causado, facilitando assim a solução ou encaminhamento do problema.

 

Hoje, os consumidores têm à sua disposição o código de defesa do consumidor, um conjunto de leis que estabelece direitos e obrigações para consumidores e fornecedores, evitando que os consumidores (a parte mais frágil nas relações de consumo) sofram qualquer tipo de prejuízo, quando estão lidando com os especialistas em vendas, profissionais que possuem informações e conhecimentos que quem compra nem sempre tem. Para esta relação ser mais justa é que existe o Código de Defesa do Consumidor.

 

Um dos hábitos mais saudáveis que podemos adquirir é reclamar nossos direitos de consumidor. Os canais para as queixas estão cada vez mais abertos e a possibilidade de ser bem-sucedido quando a reclamação é bem encaminhada aumenta a cada dia.  Não deixe pra lá... reclamar adianta!

 

A Dietoria

 

Conheça este sítio: http://www.reclamaradianta.com.br/

 


 

Conquistas para o trabalhador!

 

Hoje, queremos compartilhar com os trabalhadores que representamos alegria pelas nossas conquistas, pois, um de nossos principais objetivos é conseguir melhorias nas Convenções Coletivas. Podemos dizer, com muito orgulho, que os reajustes este ano foram maiores que o INPC do período. O valor do Vale Refeição/Alimentação chegou a ter aumento de 65%, na categoria de Contabilidade e Assessoramento; em Comissários e Consignatários (locação de bens móveis e casas lotéricas) o vale passou de R$ 50,00 para R$ 147,40/mês; Sociedades de Advogados obteve 33% de aumento no vale, o que é, sem dúvida, uma VITÓRIA HISTÓRICA, na categoria dos Agentes Autônomos. Isso tudo, porque o lema da nossa Diretoria é permanecer incansável buscando satisfazer qualquer necessidade dos nossos representados. Todos nós sabemos que funcionários com melhores salários e boa refeição, ficarão mais satisfeitos, trabalhando com sua auto-estima elevada e quem ganha com isso é o próprio empregador, pois, ele terá um parceiro feliz e mais produtivo.


Mas garanto ainda que temos muito... muito a fazer, queremos ainda muito mais, como pisos maiores, jornada de trabalho menor, principalmente pra as mulheres, que trabalham em até tripla jornada.


Continuaremos lutando, e muito, em todos os segmentos que dizem respeito ao trabalhador, seja em Brasília, em São Paulo ou Judiaí sempre estamos presentes... agora contra a reforma previdenciária, na qual o governo quer mudar totalmente as regras, como a aposentadoria por tempo de contribuição, que se elevaria para 40 anos; por idade (67 anos para homem e 63 anos para mulher); e a mudança da carência de 15 anos para 25 anos até 2031.


Hoje, também queremos dizer-lhes que apesar de todas as crises pelas quais o Brasil passa, apesar de todas as falcatruas do nosso governo, que furta na maior cara dura, não querendo, por exemplo, abrir mão da CPMF, imposto provisório que para o governo significa eterno e que para nós não se transforma em hospitais, médicos, prontos socorros, remédios, não impedem que pessoas morram sem atendimento, que escolas e faculdades públicas atendam decentemente nossos filhos para que eles possam estudar e concorrer um dia a uma boa vaga de trabalho; ainda assim não iremos esmorecer.

 

Vamos continuar tentando mudar nosso país, no qual, hoje, as faculdades públicas oferecem vestibular nos quais só tem condições de passar o filhinho de papai, que desde a pré escola até o colegial estuda no melhor colégio pago da sua cidade, enquanto o filho do trabalhador só pode estudar na escola estadual, onde não aprende nem a ler direito.

 

Não podemos mais aceitar que senadores eleitos para defender o povo, absolvam um companheiro de acusações tão sérias, não é possível que nosso senado não veja o quanto seu presidente Renan Calheiros se porta indecorosamente acumulando suspeitas de sonegação e permite que ele continue em sua cadeira bem macia, envergonhando e rindo da nação, porque quem não é punido, só pode estar rindo de seus parceiros e principalmente do povo, que um dia acreditou em suas promessas.


É muito triste viver em um país assim, quando tudo o que nossa gente maravilhosa precisa é de um pouco do muito que lhes é furtado, para poder progredir e ter justiça social. Ainda assim, vamos continuar a lutar, lutar e lutar sempre por vocês, nossos representados!

 

Maria Aparecida Feliciani

Diretora Presidente

 


 

um gesto de cidadania

 

Anote na sua agenda: no dia 29 de setembro, Jundiaí vai participar do cadastramento de doadores de medula óssea, campanha que vem percorrendo diversas cidades do país. O cadastramento de doadores de medula óssea é uma iniciativa que acontece no mundo inteiro. No Brasil, o banco de dados que reúne o cadastro de possíveis doadores é organizado pelo Instituto Nacional do Câncer - Inca, em parceria com hemocentros em todo país.

 

Em Jundiaí, o evento vai contar com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação. Os quatro locais onde serão realizadas as coletas são: Complexo Argos, no Centro; centro esportivo Romão de Souza, na Colônia; Grendacc, no Parque da Represa; escola Geraldo Pinto Duarte Paes, no Eloy Chaves. Os postos ficarão montados das 8 às 17 horas. Para ser doador, é necessário levar o RG no dia da campanha. Os voluntários precisam ter de 18 a 55 anos. O único empecilho para se cadastrar é ser HIV positivo e estar em tratamento contra o câncer.

Esta é uma excelente oportunidade de praticar cidadania e solidariedade, pois, participar do cadastramento de doadores de medula óssea pode significar salvar vidas, uma vez que a proporção de compatibilidade é de 1 em 1 milhão de pessoas; por  causa da miscigenação de raças é muito difícil encontrar um doador compatível.

 

Durante a campanha, será coletada apenas uma amostra de sangue para tipagem. Esta amostra constará no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (Redome) e, quando surgir um paciente compatível, o doador será chamado. A doação, de fato,  pode ser feita de duas formas: por punção direta, na qual, em cerca de 40 minutos, é retirada da bacia do doador uma quantidade de medula equivalente à uma bolsa de sangue: ou por coleta direta nas veias, na qual o doador recebe medicamentos, estimulando a proliferação e migração de células da medula para a corrente sanguínea, de onde são coletadas. Este processo dura cerca de quatro horas. Para ser doador, a pessoa precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde.


O transplante de medula pode significar a cura para pessoas com doenças que impedem a produção sanguínea saudável. Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro, mas para o doente, será a diferença entre a vida e a morte. A doação de medula óssea é um gesto de cidadania, solidariedade e amor ao próximo.

 

A Diretoria


 

ASSALTO AO BOLSO DO CONTRIBUINTE!


O governo está se mobilizando para que possa continuar em andamento o maior assalto ao bolso do contribuinte de que já se teve notícias neste país: a cobrança da CPMF (contribuição cobrada de cada cidadão quanto movimenta dinheiro em contas bancárias). Se somarmos todos os roubos, contrabandos, assaltos e sequestros realizados pelos bandidos regulamentados, não alcançaremos uma cifra que possa chegar perto dos 186 bilhões extorquidos nestes últimos onze anos, através da arrecadação compulsória da CPMF. Uma pouca vergonha!

 

Criado em 1996, com o objetivo de salvar a saúde, a famigerada contribuição foi prorrogada três vezes, mas esse dinheiro nunca foi utilizado em sua totalidade na área de saúde, como na proposta inicial. Acabou se tornando uma fonte de renda para o governo sustentar seu escandaloso gasto administrativo que não pára de crescer (veja o trem da alegria que pretende efetivar 260 mil funcionários públicos, sem concurso).

 

Segundo a Folha de São Paulo, este ano cada família terá de desenbolsar R$ 626,41 apenas para o pagamento da CPMF; por pessoa, serão R$ 187,95. Somando-se a isto o pagamento de  impostos taxas e contribuições, o brasileiro terá uma carga de impostos, que neste ano vai ultrapassar a marca de 40% e terá de entregar consulsoriamente o valor recebido em 146 dias de trabalho, para o pagamento de tributos (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário-IBPT), que geram diversas siglas que só significam uma coisa: atraso, furto do trabalho honesto do contribuinte, patrocínio de mensalões, bolsa isso, bolsa aquilo, deixando o cidadão comum indignado!

 

Que a CPMF vai ser prorrogada, ninguém mais duvida. O toma lá - dá cá está em ação e talvez os acordos mais escabrosos nem cheguem ao conhecimento público, mas o que os jornais informam hoje já é suficiente para lamentarmos que nada tenha melhorado na política brasileira, onde o Estado se comporta como um tubarão, engolindo tudo que vê pela frente.

 

A Diretoria
 


 

BRASIL IDOSO!

 

O Brasil é um pais que está envelhecendo e isto precisa fazer com que a sociedade repense aspectos como: aposentadoria e o que fazer após a mesma. As pessoas tendo uma maior expectativa de vida, começam a questionar-se a sobre a necessidade de se manterem em atividade para que possam manter sua vida financeira e capacidade mental/física saudáveis, uma vez que a inação e o sentimento de inutilidade muitas vezes concorrem para o isolamento do idoso e conseqüente piora na sua qualidade de vida.

 

Este rápido envelhecimento da população brasileira, evoca com urgência uma reformulação nas formas de planejar e implementar as políticas de assistência aos idosos, cuja inclusão no mercado de trabalho é, com certeza, uma exigência do mundo atual.

 

A inclusão do idoso no mercado de trabalho depende, entre outros fatores, de uma mudança na mentalidade que ainda prevalece na sociedade, sendo comum haver restrições à contratação de pessoas acima dos 60 anos, quando não dos 50. Para mudar é preciso uma reavaliação do próprio mercado, que a cada dia contará com um contingente maior da chamada terceira idade em condições plenas de executar a maioria das tarefas exigidas pelo trabalho humano moderno, com a vantagem da  experiência e compreensão madura do contexto social.


Instituições e entidades públicas e da sociedade têm se engajado nessa luta de mudança, procurando promover uma política de maior diversidade na contratação de pessoas, incluindo aí além dos idosos, outras minorias. O papel dessas organizações é muito importante para realizarmos essa transição. A nossa sociedade como um todo tem que se preparar para envelhecer com dignidade e receber a grande leva de idosos que se forma, dando-lhes oportunidade de ação nos vários níveis sociais. Só assim construiremos uma sociedade mais justa e integra.

 

A Diretoria

 


 

DESGOVERNO!

 

(Ao ser questionado se havia entrado na aeronave, o governador José Serra afirmou: “Não tem dentro do avião, ele se desfez”.)

 

Passadas 48 horas, os cidadãos brasileiros ainda estão perplexos com o acidente que envolveu o avião da TAM.  Pequenos focos de fogo ainda precisam ser contidos no prédio atingido e a ameaça de desabamento impede o resgate dos corpos que já somam 182. Estão ainda mais perplexos com a sucessão de declarações infelizes e constrangedoras despejadas por ministros e assessores do governo: como por exemplo, o presidente da Infraero dizendo que avião seguro é avião no solo; ou o ministro da Fazenda explicando que são os sintomas da prosperidade; a ministra do Turismo aconselhando a relaxar e gozar; o deboche do assessor Marco Aurélio Garcia fazendo um gesto obsceno após assistir à reportagem sobre um possível defeito técnico no avião. Lamentável...

 

Não é nenhuma novidade que aeronáutica no Brasil esta enfrentando uma crise de competência. Primeiro a tragédia do VLS (explosão do Veículo Lançador de Satélites – VLS, na Base de Alcântara, no Maranhão, que matou 21 técnicos e engenheiros), depois a tragédia do Gol (156 mortos) e agora esta do avião da TAM.

 

Como sempre as especulações são muitas e o jogo de empurra-empurra no governo já começou. A Aeronáutica (numa atitude típica do planalto) simplesmente decidiu se auto-excluir do gabinete de crise montado em São Paulo,  grupo que foi formado pela Empresa Brasileira de Infra-estrutra Aeroportuária - Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil -Anac e a TAM, dona do Boeing acidentado.

 

Interessante mencionar que o acidente, segundo o Departamento de Controle do Espaço Aéreo - Decea, ocorreu entre 18h50 e 18h55. Nesse momento, o ministro da Defesa, Waldir Pires, estava numa audiência com o presidente Lula no Palácio do Planalto. Entrou e saiu sem saber de nada e foi para casa. De lá, foi chamado de volta ao Planalto, para uma reunião de emergência.  Em um tempo de celulares e internet de alta velocidade este é um tempo grande demais para que uma autoridade receba uma informação, sem mencionar que o primeiro pronunciamento oficial ocorreu 17 horas após a tragédia.

 

Empurrando mais um pouquinho, na versão da “auto-excluída” Aeronáutica, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos - Cenipa já havia avisado há meses sobre os perigos e sobre o excesso de tráfego em Congonhas, mas a Anac não teria tomado nenhuma providência e as companhias aéreas se recusaram a aliviar o aeroporto, para não perder mercado.

 

Poderíamos enumerar muitos motivos, muitas falhas, muitas omissões por parte de muitos, que somadas resultaram em mais uma triste tragédia. Aliás, o ponto comum nas grandes tragédias brasileiras é sempre o mesmo: governos incompetentes e empresas capitalistas reduzem custos insensatamente, jogando com a vida dos cidadãos que vale muito pouco neste país.

 

O fato concreto é que há meses problemas bem conhecidos afetam o tráfego aéreo e os principais aeroportos do país, reclamando providências das autoridades e hoje as dezenas de mortos cobram dos vivos o enfrentamento desta crise, com caráter, coragem e competência, sem inventar culpados, sem tirar o corpo fora, assumindo o desgoverno que vivemos!

 

A Diretoria

 


 

ATÉ QUANDO?

 

Criado para ouvir a população, o serviço Alô Senado virou uma trincheira contra tentativas de impedir o Conselho de Ética de investigar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Os telefonemas de protesto contra essas manobras superaram no mês de junho qualquer outro assunto da Casa.

 

Não é de espantar uma vez que o cidadão comum não tem à sua disposição muitos meios para fazer-se ouvir pelos seus eleitos.  Este último escândalo, além de soterrar o que sobrou da credibilidade do Congresso Nacional afronta a inteligência da sociedade brasileira.

 

Lembrando, o presidente do Senado é acusado de ter usado o lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior, para pagar uma pensão, com direito a verba extra de aluguel, de 12,5 mil reais mensais à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha de 3 anos, resultado de uma relação extraconjugal.

 

Para justificar os pagamentos, ele apresentou uma documentação supostamente capaz de provar, graças à atividade pecuarista mantida por ele em Alagoas, a existência de lastro financeiro para a despesa. Submetida à perícia da Polícia Federal, a papelada se mostrou um amontoado de notas frias, rasuradas ou sem autenticidade comprovada.

 

O laudo da PF, embora não seja conclusivo, serviu para enterrar as esperanças de Renan de ter o arquivamento imediato do processo de cassação, impetrado pelo PSOL, a ser discutido no Conselho de Ética. Há, pelo menos, 14 irregularidades detectadas pelos peritos.

 

Como um político formado nas melhores escolas coronelistas, sem muito esforço Renan conseguiu macular profundamente a imagem do Senado que sangra aos poucos, expondo a fragilidade da Casa que, em tese, deveria ser a guardiã da democracia, das leis e da ordem.

 

Para piorar, escutas feitas pela polícia também flagraram o senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) negociando a partilha de dinheiro com Tarcísio Franklin de Moura, ex-presidente do BRB (Banco de Brasília), preso durante a Operação Aquarela.

 

Infelizmente parece que a máxima “muito escândalo e pouca punição” continua valendo em Brasília, independente de quantos modos e meios o cidadão comum possa encontrar para manifestar sua reprovação e desencanto com os políticos (que nem todos elegeram) que os envergonham diariamente! Até quando?

 

A Diretoria


SEAAC de Jundiaí e Região - Fale conosco! - (11) 4522-4802