Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio e em Empresas de Assessoramento, Perícias,

Informações  e Pesquisas e de Empresas de Serviços Contábeis de Jundiaí e Região - SEAAC JUNDIAÍ


Home
Guias
Twitter
Blog
Ao Pe da Orelha
Base/Atendimento
Presidente
Diretoria
Categorias
Circulares CCT
Jurídico
Homologações
Seaac Destaca
Observador
Associe-se Já!
Faça seu Currículo
Convênios
Fale Conosco

 

AO PÉ DA ORELHA

Projetando ações para o futuro!

 

Os finais de ano são dias maravilhosos, alegres, iluminados, quentes e convidativos para uma pausa e reflexão. Chegamos ao final de mais um ano, em cujo percurso ficaram as marcas de muitos esforços e de muitas contribuições.

 

Sentimo-nos confortados pela convicção de que não vacilamos diante dos desafios que surgiram na busca dos objetivos traçados. Somos vitoriosos, pois temos projetado ações para o futuro, frutos da união, da colaboração e compreensão dos trabalhadores para com o sindicato!

 

Essa caminhada até aqui nos motiva e nos impulsiona a buscar novos horizontes e a trabalhar cada vez mais para conquistar melhores condições de trabalho e justiça social para todas as categorias que temos a honra de representar. Assim, desejamos permanecer juntos, pois, é dessa união que nasce a força transformadora de cada dia.

 

Aproveitamos esta oportunidade para renovar, votos de felicidade, de paz, de amor e de esperança a todos os trabalhadores, desejando que 2011 traga muitas realizações!

 

A Diretoria

 


 

NESTE NATAL...

 

"Gostaríamos de armar neste Natal uma árvore dentro do nosso coração e nela pendurar em vez de presentes, os nomes de todos os nossos amigos...

...os amigos de longe e de perto,

... os antigos e os mais recentes,

... os que vemos a cada dia e os que raramente encontramos,

... os que sempre lembramos e os que às vezes ficam esquecidos,

... os constantes e os mais intermitentes,

... os das horas difíceis e os das horas alegres,

... os que sem querer nós magoamos e o que sem querer nos magoaram,

... aqueles a quem conhecemos profundamente e aqueles de quem conhecemos apenas a aparência,

... os que pouco nos devem e aqueles a quem devemos muito,

... nossos amigos humildes, os amigos importantes...

... os nomes de todos os que já passaram pela nossa vida.

Uma árvore de raízes profundas para que seus nomes nunca mais sejam arrancados dos nossos corações, de ramos muito extensos, para que novos nomes vindos do todas as partes venham juntar-se aos existentes, de sombras muito agradáveis para que nossa amizade seja um momento de repouso nas lutas de vida."(A.D.)

 

Os amigos do Seaac desejam que o Natal esteja vivo em cada dia do ano que se inicia, para possamos juntos viver harmonia, amor, verdade e justiça!

 

Boas Festas!

A Diretoria

 


 

CHEFIANDO O LAR

 

Elas têm mais anos de estudo, se dividem entre o trabalho e os cuidados com a casa, ganham menos e trabalham mais. Este é o retrato das mulheres chefes de família traçado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), por meio do cruzamento de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2009, divulgados este ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 

 

O estudo revela que aumentou o percentual de mulheres que são chefes de família no Brasil. Entre 2001 e 2009 subiu de aproximadamente 27% para 35% a participação delas como chefes da casa. Em termos absolutos são quase 22 milhões o número de famílias brasileiras cujo principal responsável pela manutenção do lar é a mulher.

 

As mulheres chefes de família são solteiras morando sozinhas, separadas ou viúvas que têm filhos ou solteiras sem filhos. Existe também as mulheres casadas chefiando a família mesmo tendo um marido ou companheiro em casa, com ou sem filhos. 

 

Um dado interessante, de acordo com o IPEA, é que ao contrário do que pode parecer a renda não é determinante para a chefia feminina, porque as mulheres chefes de família, em geral, não ganham mais que seus maridos, mas são a referência do lar.

 

Assim é preciso não esquecer que as mulheres chefes de família costumam ser também mães de família, acumulando uma dupla responsabilidade, ao assumir o cuidado da casa e das crianças, juntamente com o sustento material de seus dependentes.

 

Muitos dos problemas enfrentados pelas mulheres chefes família só encontram solução se houver vontade política para instituir o princípio da equidade de gênero como orientador do programa de governo e das políticas sociais dele derivadas.

 

As eleições, há poucos dias concluídas, apontam para mudanças no governo. O momento envolve possibilidades e riscos. As estratégias que vão ser elaboradas devem levar em consideração esta mudança, esboçando um novo projeto de desenvolvimento, calcado em políticas públicas concretas que deverão tomar forma contemplando a equiparação entre homens e mulheres.

 

A Diretoria

 


 

A NOVA FACETA DO BRASIL

 

O Brasil está mostrando sua nova faceta na qual a grande novidade é a presença feminina no mais alto cargo eletivo do país. Temos uma mulher na presidência da república. Essa nova faceta mostra que nossa sociedade está sintonizada com o século vinte e um, percebendo que não basta haver resultados positivos para a economia, mas que eles devem vir acompanhados de qualidade de vida. A sociedade quer ser reconhecida e bem tratada e as mulheres são boas nisso: em reivindicar e em fazer acontecer.

 

Não há dúvidas de que elas estão bem preparadas para a tarefa de governar, conquistando cada vez mais posições de comando e liderança. Elas não medem esforços ao se dedicarem à sua educação, dosando criatividade, bom senso e sensibilidade, características que definem um bom líder, tudo isso aliado à intuição feminina, um extra valioso para o sucesso profissional e pessoal, além de praticar regularmente o jogo de cintura para equilibrar sua agenda, dedicando-se às várias tarefas que desempenha, como  gerenciar a família, o trabalho e a vida pessoal. Esta multifuncionalidade as capacitou também para liderar o mercado de trabalho, a administração pública e os meios de comunicação, onde é preciso resolver sempre muitas coisas ao mesmo tempo.


Está mais que na hora dos homens reconhecerem esta nova posição feminina na sociedade e pararam de competir com elas, procurando superar as dificuldades em aceitar seu comando. Esta será sem dúvida uma das batalhas que a nova presidenta vai ter de enfrentar.

 

Esperamos, pois, que nossa nova líder tenha excelente habilidade em reconhecer e oferecer condições para desenvolver os talentos de seus liderados, detectando o que cada elemento de sua equipe tem de bom para colaborar. Que seja um exemplo de atitude e de comportamento, sem medo da crítica, da autocrítica, das opiniões divergentes, valorizando a diversidade de opiniões, compreendendo o valor da avaliação e a reavaliação constante do que faz. 

 

A Diretori

 


 

TODOS CONTRA A EXPLORAÇÃO DA MULHER

 

Todos sabemos que existem mulheres oprimidas e exploradas ao nosso redor. É bem fácil encontrar alguma conhecida desrespeitada pelo marido em casa, ou pelo patrão no emprego, ou xingada no trânsito, ou espoliada no salário etc. É só escolher o tipo de exploração, olhar ao redor e lá estão elas: cultural, social, sexual.

 

A igualdade entre homens e mulheres ainda está distante e se depender dos homens dificilmente será uma meta alcançada. Assim, cabe às mulheres organizadas, mulheres que reconhecem seu potencial e enfrentam esta enorme batalha todos os dias, superar o medo, as ameaças, a violência e continuar lutando, sem esmorecer, para modificar este quadro.

 

Hoje, os trabalhadores e suas organizações começam a assumir a luta contra a opressão da mulher como uma luta de toda a classe, transformando em bandeiras a conquista de creches nos locais de trabalho, o fim do assédio sexual, o fim da desigualdade salarial, o fim da violência doméstica, porque a luta contra a opressão tem de vir junto com a luta contra a exploração econômica.

 

A luta contra a exploração da mulher não é somente um discurso para os dias comemorativos, é uma luta diária e concreta. Cada mulher que se conscientiza de sua situação e se dispõe a enfrentá-la, dá um basta na exploração. Cada mulher que se filia a uma entidade sindical, sobe um degrau no caminho de sua emancipação social, ampliando seu poder de barganha.

 

É por isso, que lembramos que 25 de outubro é o Dia Internacional contra a Exploração da Mulher, incentivando sua participação massiva na luta pelo fim definitivo da opressão e exploração. Venha  juntar-se à nós!

 

A Diretoria

 


 

ELEIÇÕES 2010 - AINDA TEM MAIS

 

Os eleitores foram às urnas e decidiram os privilegiados que os representarão nos próximos quatro anos. Em Jundiaí, Geraldo Alckmin  e José Serra, candidatos ao governo do Estado e presidência, venceram a disputa nas duas zonas eleitorais da cidade. Geraldo elegeu-se no primeiro turno. Aloisio Numes (PSDB) foi o senador eleito mais votado na cidade e Marta a terceira colocada. Do total geral de votos (129.612) de Luiz Fernando Machado (PSDB), candidato a deputado federal, 59.035 foram de Jundiaí. Ary Fossen(PSDB), candidato a deputado estadual foi eleito juntamente com Pedro Bigardi (PC do B). Assim, agora a cidade conta com um deputado federal e dois estaduais.

 

Bom lembrar que Geraldo Alckmin estava no ostracismo em 2006, quando foi rejeitado pela cúpula do  partido, enfrentou Lula e perdeu, sendo esnobado em 2008 ao concorrer à prefeitura de São Paulo com Gilberto Kassab (DEM), que tinha o apoio de Serra. Foi acolhido de novo pelos tucanos, pois as pesquisas o indicavam como o candidato forte e vai garantir 20 anos ininterruptos de tucanato no Estado. Desde que seja um bom governador, tudo bem!

 

Tiririca, também foi eleito com mais de um milhão de votos. Uma triste proeza que dá bem a medida da baixa conscientização do eleitor que além disperdiçar uma vaga com um personagem sem qualquer estofo, ainda deu a chance a seu partido de colocar outros tantos inexpressivos e duvidosos políticos no Congresso. Lamentável.

 

Enfim, agora temos de ficar de olho nos eleitos que ganham salários altíssimos para mostrar serviço. Não podemos esquecer em quem votamos e muito menos deixar que fiquem sem fiscalização. Eles tem que ralar e produzir resultados, como qualquer cidadão honesto faz no dia a dia para sustentar sua vida.

 

Ah... e ainda tem a escolha do presidente da república. Dilma estava certa de que levava no primeiro turno, não levou. E Marina pode jogar água nesta fervura se declarar apoio a Serra. É bom manter olhos e ouvidos bem abertos para votar sem arrependimentos. Uma eleição só está ganha quando se apura o último voto.

 

A Diretoria

 

 


 

SERVIÇO TEMPORÁRIO

 

Para 2010, o crescimento do emprego tem sido generalizado, mas o campeão de contratações é o Setor de Serviços

 

Nos próximos três meses, 139 mil pessoas devem ser contratadas no Brasil para ocupar vagas de trabalho temporárias para o fim de ano – um crescimento de 11% em relação aos dados consolidados de 2009, segundo pesquisa encomendada pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário - Assert­tem. Essas oportunidades não vão beneficiar apenas os desempregados: o levantamento mostra que 30% dos postos devem ser ocupados por pessoas que estão entrando no mercado, o equivalente a 41,7 mil oportunidades.

 

Este número maior de oportunidades é devido ao crescimento do poder de consumo das famílias, aliado à estabilidade econômica. Uma boa parcela da população está subindo de classe social. Com mais dinheiro no bolso, esses consumidores vão em busca não só de presentes, mas de itens para melhorar o conforto no cotidiano.

 

Assim, o mercado interno aquecido fez com que a confiança dos empresários do setor de serviços voltasse a crescer. Agosto é um mês de alta para a economia como um todo e o setor de serviços é fortemente influenciado pelo mercado interno. Além de estar com mais dinheiro no bolso e enfrentar menos desemprego, o setor de serviços contou com um empurrão do período eleitoral, que eleva gastos com publicidade e o nível de ocupação sobe.

 

Sempre é bom lembrar que o contrato de trabalho temporário tem duração de 90 dias e pode ser prorrogado por um período igual de tempo. A legislação para esse tipo de contratação é praticamente a mesma que rege qualquer outra. A diferença é que, na rescisão, o trabalhador não recebe aviso prévio nem a multa do Fundo de Garantia equivalente a 40%.

 

A Diretoria


 

MULHER NEGRA

 

De forma organizada e coletiva, ou individualmente, foram inúmeras as mulheres que contribuíram para a construção da condição feminina atual. A elas deve-se o reconhecimento da cidadania feminina, com leis e reformas sociais que até hoje beneficiam o sujeito feminino. Nelas percebe-se um exemplo de persistência e luta pela causa indígena, pela abolição da escravatura, pelo direito das mulheres de freqüentar escolas e universidades e o direito de votar e ser votadas. Como protagonista do feminismo contemporâneo, não se pode ignorar as lutas que antecederam o século XXI. A das índias que lutaram contra a violência dos colonizadores; das negras que se rebelaram contra a escravidão; e das brancas que romperam com as limitações que lhes confinava ao mundo privado, para conquistar direitos de cidadania e ter voz no mundo público. (Web Artigos. Com)

 

Apesar disso, entretanto, inúmeras pesquisas realizadas nos últimos anos mostram que enquanto a mulher caucasiana avança em sua luta, ajudada pela mulher negra, esta continua vivendo uma situação de cidadania precária.  Elas tem menor nível de escolaridade, trabalham mais, com rendimento menor e as poucas que conseguem romper as barreiras do preconceito e da discriminação racial, ascendendo socialmente, têm menos possibilidades de encontrar companheiros para constituir família, sendo obrigada pelas circunstâncias a ser chefe da família, constituída apenas por ela mesma e pelos filhos.

 

A realidade hoje nos mostra que ser mulher e negra no Brasil de hoje é estar 24 horas reivindicando direitos e batalhando por eles, porque elas não são respeitadas e seus direitos primários são constantemente violados. É fácil constatar isso na web, onde as manchetes mais comuns de se encontrar são:  mulheres negra morrem três vezes mais devido a problemas ligados à gravidez; média salarial da mulher negra é 50% do salário do homem branco, situação da mulher negra no mercado de trabalho brasileiro está cada vez mais vulnerável; violência contra a mulher negra é maior, e por aí vai.

 

Assim se faz urgente um diagnóstico profundo que identifique as principais e mais urgentes necessidades das mulheres negras brasileiras, para que sirvam como uma base de sustentação para ações concretas e elaboração de políticas. Parece coisa simples mas isto tem esbarrado diariamente no “racismo institucionalizado” que esta presente nas pessoas e na política.

 

A Diretoria

 


 

Desenvolvimento Sustentado e Justo

 

Entre os meses de janeiro e julho deste ano foram criados 1.655.116 postos de trabalho, o maior saldo da série histórica do CAGED. A expansão é 5,8% superior ao recorde anterior aferido em 2008. Os dados do CAGED divulgados dia 19/08/10 apontaram que em julho, o conjunto das áreas metropolitanas gerou um resultado positivo recorde para o período,  12% superior ao saldo recorde anterior de julho de 2008.

 

O bom ritmo da atividade econômica no Brasil com a produção industrial em expansão generalizada e os níveis de emprego batendo recordes estão ampliando a confiança do brasileiro em permanecer empregado. O número de trabalhadores com carteira assinada cresce cerca de 1,5% ao mês.

 

O mercado de trabalho está azeitado, a demanda forte e os mecanismos de oferta de mão de obra, capacitação e troca de informações fazem com que o mercado fique mais ágil e o tempo de procura por uma colocação seja menor. Hoje, quem sai em busca de uma vaga, dificilmente volta sem alguma perspectiva.

 

Este momento positivo vivido pelos trabalhadores brasileiros é sustentado por vários pilares, e um deles, sem dúvida alguma é a unidade de ação das Centrais Sindicais que conquistou ganhos expressivos para os trabalhadores, promovendo o desenvolvimento com valorização do trabalho.

 

É preciso dar continuidade a este processo que está se desenrolando e isso só será realizado através do processo eleitoral. Mais do que nunca os trabalhadores precisam e devem reforçar sua representação nas casas legislativas e executivas, ajudando a formar um Estado comprometido com seus interesses. Eleger representantes em todas as esferas do poder é de suma importância neste momento, um grande desafio.

 

O movimento sindical trabalhador, por conta da legislação eleitoral, não pode financiar seus candidatos, diferente do movimento sindical patronal, que financia seus candidatos e ainda recebe benesses tributárias.  Só nos resta uma militância consciente de nosso papel como agente no processo de mudanças do país.

 

Assim sendo, não podemos nos dar ao luxo de fugir de nossas obrigações eleitorais. Precisamos analisar os candidatos, dar especial atenção aqueles que podem formar uma bancada trabalhadora forte, coesa e unida no Senado e Congresso. É o único caminho viável para conquistar o crescimento sustentado e justo que todos desejamos.

 

A Diretoria

 


 

BENDITA SEJA PÁTRIA AMADA, BRASIL!

 

Anda circulando pela web um texto de uma escritora holandesa, que merece ser divulgado e conhecido. por isso, vai lá vai...

 

"Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos.

 

Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado. Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do  serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.  

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Alguns fumam até em elevador. 

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil, ainda mais os cariocas, podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura... 
Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.  

Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc. Os brasileiros mais esclarecidos sabem que têm muitas razões para resgatar suas raízes culturais. 


Os dados são da Antropos Consulting: 

1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial. 

2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma. 

3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária. 

4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo. 

5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina. 

6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma. 

7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando. 

8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.

Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas. 95% dos brasileiros tem um celular.

10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México , são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.

11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.  

Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?

1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?

2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?

3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?

4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários? 

5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?

6. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem? 

Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.  

É! O Brasil é um país abençoado de fato.

Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos. 
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques. 
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente. 
Bendita seja, querida pátria chamada Brasil!!"

A Diretoria


 

SINDICATO CIDADÃO

 

 

O Sindicato sempre esteve associado à noção de defesa com justiça de uma determinada coletividade. É uma associação estável e permanente de trabalhadores que se unem a partir da constatação de problemas e necessidades comuns, formando uma representação forte para exigir seus direitos juntos aos empregadores e governo.

 

Assim os sindicatos nasceram com o papel de  defender os interesses da categoria, lutando por melhores salários, condições adequadas de trabalho e, sobretudo, contra o desemprego, conquistando vitórias históricas que custaram muita disputa e até sangue.

 

Entretanto, as mudanças no mundo globalizado transformaram o universo do trabalho e as bases sociais que sustentam a estrutura da grande maioria dos sindicatos de classe, que foram paulatinamente adaptando-se a nova realidade e ampliando seu campo de ação, além das defesas básicas do trabalho.

 

Esta filosofia de atuação, batizada de "sindicato cidadão" exige um comportamento sindical dinâmico e antenado, que prioriza a negociação como método de reivindicações da categoria e adoção de práticas de responsabilidade social, ou seja, adoção de políticas comprometidas não só com os interesses da categoria, mas também ações para o desenvolvimento social.

 

Esta nova filosofia tem um princípio implícito: o comprometimento com a construção de uma sociedade democrática, justa e economicamente independente, através de uma nova visão de sindicalismo, que vai além da discussão óbvia sobre o aumento de salário e melhores condições, incorporando as preocupações do trabalhador como ser humano, que além de emprego precisa de habitação, saúde, educação, transporte, lazer, segurança, dignidade e respeito.

 

Esta é a vocação e a luta diária do Sindicato Cidadão.

 

A Diretoria

 

 


 

RECESSOS PARLAMENTARES CUSTAM MUITO CARO

 

Senado e Câmara vão renovar este ano as cadeiras parlamentares na Casa, cenário que vai esvaziar os trabalhos legislativos a partir de 18 de julho, recesso parlamentar. Entre os meses de julho e outubro, praticamente não haverá trabalhos nas Casas em consequência das eleições, prática que não interrompe o pagamento dos salários e benefícios a cada um dos 594 congressistas.  No período, batizado de "recesso branco", não há votações em plenário, nem nas comissões da Casa. A presença não é obrigatória, o que evita cortes nos salários.

Assim, para guardar as aparências, Câmara e Senado devem intensificar os trabalhos nesta primeira semana de julho para limpar a pauta de votações, tentando resolver temas que se arrastaram durante o primeiro semestre. A partir daí, as decisões do Congresso deverão ser raras e o país fica paralisado.

Entretanto, se esta paralisação acontecesse apenas no período eleitoral, o prejuízo não seria tanto. Mas acontece frequentemente, pelas mais diversas razões, nos momentos em que o Congresso deveria estar a pleno vapor. Por isso, vale lembrar o custo de nossos eleitos.

Segundo cálculos da ONG Contas Abertas, cada deputado pode chegar a custar mensalmente R$ 108,6 mil por mês aos cofres públicos --incluindo o salário e os benefícios concedidos. Em um ano, o valor pago a cada parlamentar é da ordem de R$ 1,3 milhão. Em ano eleitoral, os gastos são os mesmos, apesar dos deputados estarem fora da Casa por pelo menos quatro meses.

No Senado, cada parlamentar tem em média um custo mensal de R$ 168,8 mil, também incluindo o vencimento e as regalias existentes, de acordo com a ONG. Com isso, cada parlamentar da Câmara e do Senado recebe por mês, em média, R$ 138,7 mil. A ONG tomou como base o salário mensal de R$ 16,5 mil por mês, destinado aos parlamentares, assim como o 13º salário, 14º e o 15º salários --pagos no início e no final de cada sessão legislativa.

Os parlamentares também contam com a verba indenizatória no valor de R$ 15 mil mensais (para gastos como aluguel, manutenção de escritórios estaduais e locomoção, entre outros), assim como outros benefícios, como: verba de gabinete, auxílio-moradia (para quem não ocupa imóveis funcionais), despesas mensais com caixa postal e telefônica, além da cota de passagens aéreas.

Nada justifica a falta de produtividade dentro das Casas Legislativas. Por  isso, fique atento ao desempenho dos candidatos que você elege.

A Diretoria


SEAAC de Jundiaí e Região - Fale conosco! - (11) 4522-4802