NOSSO CAMINHO!

(texto de Dirce Correa da Costa Meyer)

 

O nosso caminho é feito pelos nossos próprios passos, mas a beleza da caminhada depende dos que vão conosco!

Assim, neste novo ano que se inicia, possamos caminhar mais e mais juntos em busca de um mundo melhor, cheio de PAZ, SAUDE, COMPREENSÃO e muito AMOR.

O ano se finda e tão logo o outro se inicia, e neste ciclo do "ir" e "vir", o tempo passa - e como passa!

Os anos se esvaem e nem sempre estamos atentos ao que realmente importa. Deixe a vida fluir e perceba, entre tantas exigências do cotidiano, aquilo que é indispensável para você!

Ponha de lado o passado e até mesmo o presente. Crie uma nova vida, um novo dia, um novo ano que ora se inicia!

Crie um novo quadro para você! Crie, parte por parte, em sua mente, até que tenha um quadro erfeito para o futuro, que está logo além do presente.

E, assim, dê início a uma nova jornada que o levará a uma nova vida, a um novo lar, aos novos progressos na vida!

Você logo verá esta realidade e encontrará a maior felicidade e recompensa. Que o ano novo renove nossas esperanças, e que a estrela resplandeça em nossas vidas e o fulgor dos nossos corações unidos intensifique a manifestação de um 2007 repleto de vitórias!

Que o resplendor dessa chama seja como a tocha que ilumina nossos caminhos para a construção de um futuro repleto de alegrias! E que tenhamos um mundo melhor!

À todos vocês, companheiros, já que temos o mesmo ideal, desejo que as experiências próximas de um ano novo sejam construtivas, saudáveis e harmoniosas.

Muita paz em seu contínuo despertar!
 

Estes são os votos do SEAAC Jundiaí para todos os trabalhadores, associados, amigos e parceiros

A Diretoria

 


16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM  DA VIOLÊNCIA

 

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres foi criada em 1991, por feministas e movimentos de mulheres ligados ao Centro para Liderança Global das Mulheres (Center for Womens´s Global Leadership) e ocorre atualmente em 159 países. Internacionalmente, a Campanha tem início no dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres, e vai até o dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos. Entretanto, aqui no Brasil, o evento  tem início no dia 20 de novembro, o Dia Nacional da Consciência Negra, com o objetivo de destacar a dupla discriminação sofrida pelas mulheres negras.

Outras datas importantes neste período e que integram a campanha são o dia 1º de dezembro - Dia Mundial de Combate à Aids,  o dia 6 de dezembro - Dia do massacre de Mulheres de Montreal, data que incentivou a criação da Campanha Mundial do Laço Branco no Brasil e Dia Nacional de Luta dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres e o 10 de dezembro Dia internacional dos Direitos Humanos.

 

A Campanha dos 16 dias tem sido usada como uma estratégia de mobilização de pessoas e grupos ao redor do mundo para pedir a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres através da sensibilização sobre a violência de gênero como uma questão de direitos humanos nos níveis local, nacional, regional e internacional; reforço do trabalho local em torno da violência contra as mulheres; estabelecimento uma ligação clara entre o trabalho local e internacional pelo fim da violência contra as mulheres; proposta de um fórum em que os organizadores podem desenvolver e compartilhar novas estratégias de maneira eficaz; demonstração de solidariedade das mulheres em todo o mundo organizando ações pelo fim da violência contra as mulheres, criação ferramentas para pressionar os governos a implementar as promessas feitas para eliminar a violência contra as mulheres.

 

Este ano no Brasil a proposta é chamar a atenção da sociedade de forma que cada vez mais mulheres busquem orientação sobre seus direitos, sendo abordada a temática “Compromisso e atitude pela Lei Maria da Penha – a lei é mais forte”, que pretende mobilizar a população e promover a atuação conjunta entre governo e justiça a fim de diminuir a impunidade nos crimes contra as mulheres.  É bom lembrar que o Brasil está entre os 25 países que apresentam alta taxa de feminicídio no mundo. Precisamos mudar este quadro.

 

A Diretoria


 

CONSCIÊNCIA NEGRA

 

 

Desde o início da década de 1970, os brasileiros têm comemorado o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro. A data foi escolhida por ser o dia em que Zumbi dos Palmares, líder do mais emblemático quilombo do país, morreu, em 1695.

 

O objetivo da homenagem é promover a reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira; como modo de reduzir o racismo e a discriminação. O dia também é marcado pela luta contra a inferioridade da classe perante a sociedade, a falta de respeito enquanto pessoas humanas, conscientização das pessoas da importância da raça negra e de sua cultura na formação do povo brasileiro e da cultura do país.

 

Hoje, vivemos em uma democracia, mas ela ainda não se consolidou, uma vez que nem todos os cidadãos tem acesso à plena cidadania. Como estamos vivendo neste momento, um período cheio de possibilidades para concretizar transformações fundamentais abortadas em vários períodos da história, não podemos deixar “passar este bonde” e devemos nos unir para realizar as transformações necessárias para implementar uma política cultural inclusiva, que começa a se materializar na valorização da diversidade e desestruturação da hierarquia herdada da escravidão.

 

É o momento de apresentarmos propostas aos, autoridades públicas e sociedade civil, acreditando que somente com ações concretas superaremos os impasses sociais e econômicos que submete a grande maioria da população negra aos espaços subalternos. Entretanto esta luta só frutificará de fato quando toda a sociedade compreender que é seu dever batalhar por ela e não apenas uma demanda dos negros.

 

A Diretoria